Total de visualizações de página

quarta-feira, 31 de julho de 2013

CARNE DE ABATE CLANDESTINO PREOCUPA, MAS DE FRIGORÍFICOS SEM CONDIÇÕES HIGIÊNICO-SANITÁRIAS ADEQUADAS TAMBÉM!


As condições de abate do rebanho bovino e suíno em todo o país tem sido motivo de preocupação por parte das autoridades sanitárias de todos os estados. Entretanto isto ainda não se refletiu em medidas mais contundentes que culminem na efetiva promoção de uma fiscalização mais rigorosa e frequente das instalações dos estabelecimentos existentes em Goiás.
A população por sua vez acaba ficando exposta a mais de dez tipos de doenças graves capazes de levar os seres humanos à morte, como, por exemplo: teníase, cisticercose, fasciolose, toxoplasmose, brucelose, botulismo, listeriose, salmonelose, tuberculose, hidatidose.
A presença de veterinários, exigida pelo RIISPOA (Regulamento da Inspeção Industrial e Sanitária de Produtos de Origem Animal), e a avaliação do animal antes e depois da morte são ignoradas na maior parte dos casos, tendo sido frequente o relato de pressões para que estes profissionais não exerçam suas funções com o rigor necessário preconizado pela lei.
Ao final de um processo, ocorrido em condições inadequadas de fiscalização e precárias de abate, quem ficará com a conta, e provavelmente alguma doença, será o consumidor, que acabará por ingerir alimentos infectados e que deveriam ter sido jogados no lixo.
A Vigilância Sanitária de Itumbiara tem sido cobrada diariamente, contudo as suas atribuições na fiscalização destes produtos somente podem se dar à partir da verificação das condições em que a carne está sendo comercializada nos pontos de venda, como nos açougues e supermercados, observando a higiene do local, a temperatura de conservação e conduta dos manipuladores na dispensação aos consumidores.
Todas as etapas anteriores à chegada da carne no ponto de venda são atribuições da Agrodefesa e MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento).  E são estas etapas, anteriores à chegada da carne ao ponto de venda, as que mais preocupam e onde tem se observado as maiores irregularidades, principalmente aquelas relacionadas à fiscalização da sanidade do animal abatido e as condições higiênico-sanitárias dos locais onde isto é realizado.
Em nossa região a situação está longe do ideal, desta forma todos os responsáveis como a Agrodefesa, MAPA, Vigilância Sanitária, Ammai, Procon, Ministério Público e  proprietários de frigoríficos, açougues e supermercados deverão ser chamados a participar da discussão deste problema, com a finalidade de assegurar a oferta de produtos de qualidade e sem riscos à saúde de nossa população.

Dr. Hebert Andrade Ribeiro Filho
Diretor de Vigilância Sanitária de Itumbiara

segunda-feira, 29 de julho de 2013

VIGILÂNCIA SANITÁRIA DIVULGA MATERIAL COM A COLABORAÇÃO DA COVISA - SP

      Com a colaboração da Coordenação de Vigilância em Saúde da Cidade de São Paulo (COVISA – SP), a Vigilância Sanitária de Itumbiara está fazendo a divulgação de medidas para prevenir doenças e promover a saúde da população.
       Esta série, denominada Guia do Cidadão Vigilante, é um informativo desenvolvido pela COVISA no intuito de orientar o cidadão sobre condições que devem ser observadas para utilizar produtos e serviços em nosso dia a dia.
     A leitura destas publicações facilitará a identificação de situações que podem oferecer risco à saúde ao adquirir produtos como cosméticos, alimentos, medicamentos e no uso de serviços, como salões de beleza, clínicas médicas, consultórios odontológicos, entre outros.
     Veja alguns cuidados que podem proteger a sua saúde, clicando nas imagens abaixo de cada uma das publicações do Guia do Cidadão Vigilante, disponíveis para download.

                   

 

                                                                           



Dr. Hebert Andrade Ribeiro Filho
Diretor de Vigilância Sanitária de Itumbiara 

quarta-feira, 24 de julho de 2013

HEMODINÂMICA DO HOSPITAL SÃO MARCOS RECEBE INSPEÇÃO DA VISA E INICIA ATIVIDADES EM AGOSTO

As instalações da Hemodinâmica Vida, ligada ao Hospital São Marcos, foram inspecionadas pela equipe da Vigilância Sanitária de Itumbiara na última quinta-feira (18/7), recebendo parecer favorável para o início das atividades, consolidando, desta forma, os avanços que vem ocorrendo na qualidade dos serviços médicos em nossa cidade, desta vez na área da cardiologia intervencionista.
A área reservada para a hemodinâmica é bastante ampla e abriga um conjunto de equipamentos e instrumentos dotados das últimas inovações no campo da medicina, instalados em uma edificação interna ao Hospital São Marcos, com arquitetura complexa e privilegiada, construída especificamente para esta finalidade. Todo este aparato tecnológico será operado por um médico hemodinamicista, que é o nome do especialista nesta área da cardiologia, com o apoio de uma equipe de radiologia e enfermagem com especialização nesta área.
Neste novo serviço médico-hospitalar de Itumbiara, que se soma a outros advindos dos avanços já implementados no Hospital São Marcos, teremos a prevenção de eventos cardíacos potencialmente fatais, além de contribuir, de forma decisiva, nas urgências e emergências cardiológicas, fazendo com que as chances de vida de uma pessoa acometida por um infarto, por exemplo, sejam exponencialmente maiores do que aquelas que teria, caso o estabelecimento hospitalar não fosse dotado deste tipo de estrutura, ou mesmo, como na maioria das vezes, se houvesse a necessidade de se transferir o paciente para outros locais com estes recursos, como Uberlândia ou Goiânia. Ressalte-se, ainda, o fato de que já existe uma equipe de Cirurgia Cardiovascular que fará a retaguarda cirúrgica para os casos mais complexos. 
Procedimentos como cateterismo cardíaco e de outros órgãos, aortografia, estudo vascular periférico, estudos e intervenções neurológicas, angioplastia coronariana e outras angioplastias diversas poderão ser realizados em Itumbiara, possibilitando o acesso da população a uma das áreas mais complexas da medicina e inserindo de vez nossa cidade como referência de saúde em Goiás e no Brasil.

Dr. Hebert Andrade Ribeiro Filho
Diretor de Vigilância Sanitária de Itumbiara


sábado, 13 de julho de 2013

VIGILÂNCIA SANITÁRIA DE ITUMBIARA SOMA 9.544 AÇÕES NO 1º SEMESTRE DE 2013


A Vigilância Sanitária de Itumbiara alcançou, nos primeiros seis meses do ano, a marca de 9.544 ações desenvolvidas dentro do âmbito de suas atribuições.
O número recorde na emissão de Alvarás de Vigilância Sanitária (4.207), além de refletir o resultado da divulgação, veiculado através de vários canais de comunicação (TV, Jornais e Internet), do trabalho que vem sendo realizado pelo órgão em nossa cidade, demonstra, também, a conscientização de todo os setores regulados em se adequarem às normas sanitárias e buscarem a regularização de suas atividades junto à Vigilância Sanitária de Itumbiara.
Os mais de dois milhares (2.415) de atendimentos feitos diretamente ao público, na sede do órgão, é outro número que chama a atenção, resultado, principalmente, da demanda por informações que forneçam aos interessados os esclarecimentos necessários sobre a legislação que normatiza a sua atividade.
Fiscalizações, análises de água para verificação de parâmetros físico-químicos (pH, Turbidez e Cloro Livre); atendimento a denúncias; notificações; intimações; coletas de amostras de água na rede pública para análise no LACEN-GO; ações com a Superintendência de Endemias no combate a Dengue; termos de orientação; autos de infração; autos de interdição; coletas de alimentos no comércio de nossa cidade para análise, também no LACEN-GO, de controle de qualidade; autos de inutilização; ofícios respondidos ao Ministério Público e autos de apreensão de mercadorias, somaram, juntos, 2.922 ações.   
A sociedade tem demonstrado o seu reconhecimento e vem respaldando as ações efetuadas, compreendendo a importância desta atuação no interesse da coletividade e no contexto da saúde pública de nosso município. 

Dr. Hebert Andrade Ribeiro Filho
Diretor de Vigilância Sanitária de Itumbiara

quinta-feira, 11 de julho de 2013

VIGILÂNCIA SANITÁRIA VISITA STEMAC S/A

Mayra Garcia, Hebert Andrade, Omar, Márcio Gaspre, Márcia Mamede e Simone Coser
A instalação de novas indústrias em Itumbiara, de oito anos para cá, vem acontecendo de forma sistemática e sustentada, tendo sido a tônica do esforço político das últimas administrações municipais para alavancar a economia do município e, consequentemente, de todo o Estado de Goiás.
Neste contexto auspicioso presenciamos a instalação no Distrito Agroindustrial II, às margens da BR-153, da indústria STEMAC S/A, onde serão produzidos grupos geradores para o Brasil e o mundo.
Os números da empresa são gigantescos. Com uma área construída de mais de 55.000 m2 e com investimentos que deverão ultrapassar a ordem de Cento e Sessenta Milhões de Reais (R$160.000.000,00), criando mais de 1.500 postos de trabalho, acabará por fomentar a formação de mão de obra especializada, contribuindo para que novos cursos superiores aqui se instalem e impulsionem a nossa educação, atraindo, até, novas instituições de ensino superior para Itumbiara. Diante de tudo isso, redundante seria falar no retorno econômico, em ICMS, decorrente da comercialização da produção obtida em um projeto com esta envergadura.

A Vigilância Sanitária de Itumbiara vem buscando, e conseguindo, através de atualizações contínuas de seu corpo técnico, acompanhar a inserção deste novo parque industrial em nossa cidade, o qual deverá, já a partir do mês de agosto, entrar em funcionamento. Desta forma, conhecendo suas peculiaridades arquitetônicas, a Vigilância Sanitária de Itumbiara participa orientando nos aspectos relacionados aos vários ambientes da indústria onde a observação correta da legislação sanitária, otimizando as condições de trabalho ao longo de toda a cadeia produtiva, redundará na proteção à saúde e à segurança dos colaboradores, auferindo, assim, ganhos de produção nos processos que ocorrerão no interior da empresa.
As primeiras constatações da equipe de fiscalização da Vigilância Sanitária de Itumbiara, conforme visita realizada à STEMAC S/A, na última sexta-feira (5/7), não poderiam ser melhores. Observou-se, nas instalações do complexo industrial, a preocupação em se utilizar o que há de mais moderno em engenharia de produção e, também, disponibilizar a todos os colaboradores, os melhores conceitos arquitetônicos em ambientes coletivos para alimentação, refazimento e descanso, que serão usufruídos nos intervalos destinados a estas finalidades, valorizando, assim, cada um daqueles que vierem a integrar os quadros da empresa na consolidação do progresso de nossa região.

Dr. Hebert Andrade Ribeiro Filho
          Diretor de Vigilância Sanitária de Itumbiara 

                                                    

quinta-feira, 4 de julho de 2013

CUIDADOS AO FAZER TATUAGEM OU PIERCING

TATUAGEM INFECCIONADA POR FALTA DE ASSEPSIA DA PELE E/OU ESTERILIZAÇÃO DOS INSTRUMENTOS
CUIDADOS AO FAZER TATUAGEM OU PIERCING

ORIENTAÇÕES DA VIGILÂNCIA SANITÁRIA
IMPORTANTÍSSIMO: VERIFIQUE SE O ESTABELECIMENTO TEM ALVARÁ DA VIGILÃNCIA SANITÁRIA. SE NÃO POSSUIR, NÃO ARRISQUE!
Ao fazer um piercing ou uma tatuagem as pessoas ficam expostas ao risco de contrair vírus como HIV e vírus das hepatites B e C. Por esta razão os profissionais que executam estes procedimentos devem estar atentos às condutas para prevenir e controlar infecções, com a finalidade de minimizar riscos à sua saúde e dos clientes.

AO FAZER UMA TATUAGEM OU COLOCAR PIERCING ESTEJA ATENTO!
OBSERVE:
• As condições de limpeza, organização e ventilação do local;
• A higienização, com água e sabão, das mãos do profissional antes de    realizar os procedimentos;
• Se é realizada a limpeza da pele com água e sabão e, posteriormente, a fricção com  Clorexidina  ou álcool a 70%, onde será colocado o piercing ou aplicada a tatuagem;
• O uso de máscara, avental e luvas descartáveis, pelo profissional    durante a execução dos procedimentos;
• Se as agulhas para tatuar, o catéter para aplicação de piercing, e os aparelhos para raspagem de pelos são descartáveis;
• As tintas devem ser fracionadas em recipientes próprios, e após o procedimento, as sobras descartadas;
• Se os piercings foram esterilizados antes de ser introduzidos na pele;

VOCÊ SABIA?
• Os maquiadores, tatuadores e piercers não podem prescrever e administrar medicamentos (anestésicos, antibióticos, antiinflamatórios    e outros);
• Não é recomendável a aplicação de piercing e tatuagem em cartilagem   do nariz, orelha (exceto lóbulo), nas articulações e órgãos genitais.

IMPORTANTE
• Para os menores de 18 anos, a colocação de tatuagem e piercing    somente poderão ser realizadas com autorização, por escrito, do    responsável legal.
  Deverá ser apresentado e anexado ao referido documento, cópia da   carteira   de identidade do responsável legal e cópia da certidão de   nascimento ou   carteira de identidade do menor.
• Todos os clientes deverão preencher e assinar documento contendo os    riscos decorrentes da execução dos procedimentos.

 CUIDADO!
• Verifique se a pele do local escolhido para colocar piercing ou fazer    tatuagem   está sadia sem vermelhidão, queimaduras ou alergias.
• Se você é portador de alguma doença como diabetes, hepatites,     hanseníase,   AIDS ou outra imunodeficiência,coagulopatias, doenças     cardíacas de   qualquer natureza, alergias, portadores de prótese em     qualquer local e   válvulas cardíacas.
• Se está convalescendo de doenças ou fez cirurgias recentes.
• Se tem predisposição a queloide.
• Se pretende aplicar tatuagem e colocar piercing em locais com    cicatrizes,   alergias, queimaduras ou doenças agudas ou crônicas da    pele.
  Faça uma consulta médica! Só este profissional é capaz de atestar se você pode se submeter a estes procedimentos.
 
LEMBRE-SE:
  Fazer uma tatuagem implica em introduzir pigmentos na pele;
  Carregar no seu corpo marcas para sempre;
  Não existe tratamento 100% eficaz para remoção.
 Fonte: www.visa.goias.gov.br



Dr. Hebert Andrade Ribeiro Filho
Diretor de Vigilância Sanitária de Itumbiara

terça-feira, 2 de julho de 2013

ESTÚDIO DE TATUAGEM É INTERDITADO APÓS DENÚNCIA

Material perfurocortante acondicionado de forma incorreta, além da capacidade dos coletores

Jovem no momento da denúncia à Vigilância Sanitária de Itumbiara
No detalhe, local da tatuagem com aspecto eritematoso e purulento
Um estúdio de tatuagem que funcionava nos fundos de uma residência na Rua Paranaíba, Setor Central, foi interditado, nesta segunda-feira (1/7), pela Vigilância Sanitária de Itumbiara.
O profissional responsável pelo estúdio de tatuagem não possuía nenhuma das documentações exigidas para o exercício desta atividade, como, por exemplo, Alvará de Vigilância Sanitária e Alvará de Funcionamento. Além disso, as instalações e o ambiente onde eram feitos os atendimentos não estavam dentro das normas sanitárias exigidas pela legislação. Sem equipamentos de esterilização dos instrumentos de trabalho, nem pia para lavagem das mãos, o risco de transmissão de doenças infectocontagiosas como, por exemplo, hepatites virais, principalmente hepatites B e C, além da AIDS, era extremamente alto. O descarte das agulhas utilizadas estava sendo feito de forma incorreta, sem a contratação de uma empresa especializada na coleta do resíduo perfurocortante gerado após a realização dos procedimentos.
Como a atividade era desenvolvida de forma clandestina, a interdição só foi possível com a verificação de denúncia feita à Vigilância Sanitária de Itumbiara por uma mãe, cujo filho apresentou extensa reação inflamatória e purulenta na perna, após a realização de uma tatuagem que, segundo informações do filho à mãe, pode ter sido decorrente da utilização de instrumentos que teriam sido utilizados em uma cliente e, mesmo sem terem sido esterilizados previamente, foram empregados na execução da tatuagem do garoto.
Apesar de toda a intercorrência, resultante da realização da tatuagem, ainda segundo a mãe, nenhuma assistência médica foi colocada à disposição de seu filho pelo profissional, limitando-se o mesmo a somente indicar, o que é terminantemente proibido, a aplicação nos ferimentos de um produto de nome Bepantol.
Os tatuadores e também aqueles que colocam piercings nas pessoas precisam se conscientizar de que não são apenas artistas, mas também, profissionais que exercem atividades com risco de exposição a material biológico (sangue e secreções) e, portanto, devem se comprometer com a sua segurança e a do cliente.
A Vigilância Sanitária de Itumbiara já distribuiu, e ainda possui, à disposição dos profissionais, material explicativo para oferecer orientação segura a todos que desejam buscar informação correta e necessária ao exercício destas atividades de forma legal sem oferecer riscos às pessoas que queiram fazer uma tatuagem ou colocar um piercing em seu corpo.

Dr. Hebert Andrade Ribeiro Filho
Diretor de Vigilância Sanitária de Itumbiara