Total de visualizações de página

segunda-feira, 13 de maio de 2013

ANVISA AVALIA RISCO DA PRESENÇA DE FORMOL E UREIA NO LEITE


O consumo de leite com presença de formol não é seguro para a saúde humana. É o que aponta informe técnico divulgado pela ANVISA, nesta quinta-feira (9/5), em decorrência da Operação Leite Compen$ado, deflagrada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) e Ministério Público do Rio Grande do Sul, que investiga a adulteração de leite nas cidades de Ibirubá, Guaporé e Horizontina, no referido estado.
O formol ou formaldeído é toxico se ingerido, inalado ou se tiver contato com a pele e é considerado cancerígeno pela Agência Internacional de Pesquisa do Câncer (IARC) desde junho de 2004. Os tipos de câncer associados à exposição crônica ao formol são os de nasofaringe, nasossinusal e leucemia. “Mesmo em pequenas concentrações, o formol representa um risco à saúde, pois a substância não possui uma dose segura de exposição”, afirma Denise Resende, Gerente-Geral de Alimentos da ANVISA.
Por outro lado, o informe técnico apontou que a ureia, em doses razoáveis, causa pouca ou nenhuma toxicidade para seres humanos. “A ureia não é considerada uma substância de preocupação para a saúde humana, mas é usada para mascarar a quantidade de proteína no leite”, explica Denise.
LEITE ADULTERADO
Segundo o Ministério da Agricultura, as indústrias produtoras do leite UHT adulterado foram submetidas ao Regime Especial de Fiscalização e estão impedidas de comercializar os produtos. A proibição é valida até que um plano de medidas corretivas seja aprovado e que três amostras consecutivas apresentem resultados laboratoriais dentro dos padrões.

Além disso, o Ministério realizou o recall de todos os lotes de leite que apresentaram problemas, não restando produtos adulterados no comércio. Os lotes retirados do mercado foram divulgados em nota técnica pelo Ministério da Agricultura e estão listados abaixo.


 COMPETÊNCIAS

De acordo com a Lei 1.283/50, o Ministério da Agricultura é o órgão responsável pela fiscalização da fabricação de produtos de origem animal, incluindo o leite. Compete aos órgãos de vigilância sanitária a fiscalização desses produtos no mercado varejista. Como o leite adulterado já foi retirado do comércio, no momento, não serão adotadas ações sanitárias complementares.
A Vigilância Sanitária de Itumbiara monitora a qualidade do leite UHT (leite de “caixinha”) com uma frequência razoável e, até então, não se detectou irregularidades graves como estas verificadas no sul do país. Em 2013 já foram coletadas amostras deste tipo de produto nas prateleiras de supermercados de Itumbiara, inclusive algumas da mesma marca daqueles produtos que teriam sido adulterados, entretanto, felizmente, segundo o LACEN-GO, estavam dentro dos padrões recomendados. De qualquer forma, a ANVISA recomenda aos consumidores que caso disponham desses lotes em suas residências, que os mesmos não sejam consumidos, por haver risco à saúde.
Fonte: ANVISA

Dr. Hebert Andrade Ribeiro Filho
Diretor de Vigilância Sanitária de Itumbiara

Nenhum comentário:

Postar um comentário