Total de visualizações de página

segunda-feira, 27 de maio de 2013

AÇÕES DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA - ABRIL 2013


As ações desenvolvidas pela Vigilância Sanitária de Itumbiara vem demonstrando a importância deste órgão como atenção primária à saúde, retirando-o da marginalidade  e trazendo-o para seio da discussão no contexto das preocupações com a saúde pública do município de Itumbiara.
Verificou-se, até o mês de abril, a emissão de 4.132 alvarás de vigilância sanitária, diagnosticando de forma patente o tamanho do setor regulado em nossa cidade, incluindo-se aí desde as atividades comerciais e de prestação de serviços mais triviais, mas nem por isso menos importantes, às atividades médico-hospitalares e industriais realizadas pelas empresas aqui instaladas.
A diversidade e o número de empresas fiscalizadas pela Vigilância Sanitária colocam-na como figura de proa na segurança da qualidade de bens e serviços, produzidos e colocados à disposição da nossa população.
O Secretário Municipal de Saúde, Dr. Wanderlei Domingos da Costa Júnior, tem estado atento às demandas necessárias a uma fiscalização célere e eficiente, disponibilizando todo o apoio logístico-operacional para que a Vigilância Sanitária de Itumbiara continue desempenhando o papel que a sociedade dela espera, orientando todos os setores por ela regulados e trazendo mais segurança nas relações de consumo de bens e serviços dentro de Itumbiara.

Dr. Hebert Andrade Ribeiro Filho
Diretor de Vigilância Sanitária de Itumbiara

quinta-feira, 23 de maio de 2013

ANVISA SUSPENDE FRASCOS DE TYLENOL COM PROBLEMAS

                
              A ANVISA publicou, nesta quinta-feira (23/5), a suspensão da distribuição, comércio e uso do medicamento Tylenol Gotas 200mg/ml solução oral. A medida se deve ao comunicado da empresa, feito à Agência na terça-feira (21/5), que identificou problemas no sistema de gotejamento dos frascos, o que pode acarretar em risco para os usuários do produto.
                O laboratório Janssen-Cilag, empresa do grupo Johnson & Johnson, anunciou ontem que vai recolher de farmácias e distribuidores 19 lotes do analgésico Tylenol em gotas, de uso adulto e pediátrico, por um problema na embalagem. A empresa informou ao Ministério da Justiça ter recebido reclamações de 11 consumidores a respeito do defeito no gotejador do produto, com relatos de náuseas e enjoos, afirma Amaury Oliva, diretor do departamento de proteção e defesa do consumidor do Ministério da Justiça.
            De acordo com a fabricante, a peça de plástico que dispensa as gotas pode se soltar total ou parcialmente quando o consumidor, ao abrir o frasco, inclina a tampa para o lado na tentativa de romper o lacre do produto. Se uma pessoa administra o remédio diretamente na boca de uma criança, por exemplo, e não percebe que o gotejador está bambo, pode acabar dando uma dose muito maior do que a indicada, o que pode causar náusea, sonolência e danos ao fígado.
            A falha foi relatada pela empresa no dia 9 de maio ao ministério. Foi dado prazo para que a fabricante apresentasse o modelo e o alcance da campanha de recall, que vai atingir 3,4 milhões de unidades (veja lotes ao lado). O recolhimento afeta só a linha Tylenol Gotas 200 mg/ml, de uso adulto e pediátrico, e não os produtos para bebês (Tylenol Bebê em gotas, com 100 mg/ml) e crianças (suspensão oral, 32 mg/ml).
            De acordo com o médico Anthony Wong, diretor do Ceatox (Centro de Assistência Toxicológica do Hospital das Clínicas da USP), uma superdosagem de paracetamol, princípio ativo do Tylenol, pode causar problemas no fígado e, em doses extremas, hepatite tóxica fulminante, além de males renais. A dosagem indicada do medicamento, porém, tem margem de segurança grande, segundo Wong. "Mesmo se cair o dobro da quantidade, ainda assim não há risco. Mas o recall é importante porque o medicamento saiu da qualidade preconizada". Adultos não devem ultrapassar 4 g (cerca de 320 gotas) de paracetamol por dia. Nas crianças, a dose máxima depende do peso. O médico acrescenta que mesmo medicamentos seguros requerem cuidados especiais porque sempre há risco de superdosagem.
            O toxicologista Sérgio Graff, da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), afirma que o risco ocorre principalmente se a administração do remédio for feita direto na boca do paciente. "Gota não se pinga direto na boca da criança. Tem que pingar na colher primeiro". Segundo Graff, caso uma mãe desconfie que deu uma dose alta demais para uma criança, deve levá-la ao pronto-socorro mais próximo. O mesmo vale para adultos.
            O hepatologista Raymundo Paraná, professor da UFBA (Universidade Federal da Bahia), afirma que quem bebe álcool regularmente tem um risco maior de ter problemas no fígado por excesso de paracetamol. "O uso de alguns medicamentos, inclusive de alguns fitoterápicos, também aumenta os riscos."
            A farmacêutica Janssen-Cilag informou que vai mudar a embalagem do remédio. Consumidores que quiserem pedir ressarcimento ou mais informações podem ligar para o SAC 0800-728-6767.
            Confira os lotes que estão sendo recolhidos: PPL055, PPL056, PPL057, RAL030, RCL088, RFL095, RLF096, RGL052, RHL047, RKL037, RLL015, RLL087, RML007, RML125, RML135, RML175, RNL049, REL036 e RJL123.
Fonte: ANVISA/FOLHA DE SÃO PAULO

Dr. Hebert Andrade Ribeiro Filho
Diretor de Vigilância Sanitária de Itumbiara


quarta-feira, 22 de maio de 2013

VIGILÂNCIA SANITÁRIA DE ITUMBIARA PARTICIPA DA CONFERÊNCIA MUNICIPAL DAS CIDADES E DA CONFERÊNCIA MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE

Dra. Cristiane Cotrim, Chico Balla, Dra. Ana Cristina, Dr. Hebert Andrade, Dr. Marcelo Gomes, João e Dr. Elézer Ataídes

Com a participação das várias esferas da administração municipal e de representantes de segmentos diversos da sociedade civil organizada foi realizado pela Secretaria Municipal de Planejamento e pela Agência Municipal do Meio Ambiente no auditório da Escola Municipal de Tempo Integral Juca Andrade, no dia 21/5/2013, a 5ª Conferência Municipal das Cidades e a 1ª Conferência Municipal do Meio Ambiente. Na ocasião o prefeito Chico Balla agradeceu a participação de todos os presentes e ressaltou a importância do evento para o desenvolvimento e crescimento sustentável de Itumbiara.
Os assuntos discutidos versaram sobre a Política Nacional de Desenvolvimento Urbano e a Política Nacional de Resíduos Sólidos. Foram palestrantes a Dra. Cristiane Cotrim (Mestranda em direito Agrário pela Universidade Federal de Goiás, Procuradora Geral do Município e Presidente da Agência Municipal do Meio Ambiente de Itumbiara – AMMAI) que discorreu sobre o tema “Política Nacional de Resíduos Sólidos”. Também foi realizada palestra sobre “Reforma Urbana”, proferida pela Secretária de Planejamento de Itumbiara, Dra. Ana Cristina, Engenheira Civil.
Ainda tivemos a participação da Dra. Marisa Pignataro, Engenheira Civil e Gerente de Política de Saneamento da Secretaria Estadual das Cidades, com a palestra “Saneamento Básico” e do Dr. José Tosta de Carvalho Filho, Engenheiro Eletricista e Gerente de Mobilidade Urbana da Secretaria Estadual das Cidades cujo tema abordou “Desenvolvimento Urbano Sustentável e Mobilidade Urbana”.
O encontro serviu para elaboração de propostas por eixos temáticos como: Políticas de Incentivo à Implantação de Instrumentos de Promoção da Função Social da Propriedade; Participação e Controle Social no Sistema Nacional de Desenvolvimento Urbano; Fundo Nacional de Desenvolvimento Urbano; Instrumentos e Políticas de Integração Intersetorial e Territorial; Produção e Consumo Sustentáveis; Redução dos Impactos Ambientais; Geração de Emprego, Trabalho e Renda; Educação Ambiental.
A Conferência Regional se dará na próxima sexta-feira (24/5), quando várias cidades da região sul de Goiás enviarão seus representantes para escolha das propostas que serão levadas para a Conferência Estadual do Meio Ambiente a ser realizada em Goiânia.

Dr. Hebert Andrade Ribeiro Filho
Diretor de Vigilância Sanitária de Itumbiara
  

terça-feira, 14 de maio de 2013

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS E VIGILÂNCIA SANITÁRIA DE ITUMBIARA ARTICULAM PARCERIA

Hebert Andrade (Diretor de Vigilância Sanitária de Itumbiara) e Prof. Evaldo de Souza Leles (Diretor Educacional da UEG)
A Universidade Estadual de Goiás, Unidade Universitária de Itumbiara, representada pelo professor Evaldo de Souza Leles, Diretor Educacional; Dra. Anna Paula de Sá Borges, Coordenadora do Curso de Farmácia e pela professora MS. Maria Madalena Alcântara, da disciplina de Química, iniciou na tarde de ontem (13/5), na Vigilância Sanitária de Itumbiara, articulação para cooperação técnica, visando possibilitar aos alunos do curso de Farmácia a integração dos conhecimentos teóricos, vistos na grade curricular, aos parâmetros adotados dentro do âmbito de atuação do profissional farmacêutico na fiscalização dos setores regulados pela vigilância sanitária.
Dentro desta perspectiva várias abordagens foram vislumbradas, principalmente aquelas inseridas como atividades complementares realizadas pelos alunos do curso de Farmácia, tendo, por exemplo, a observação de procedimentos adotados nas fiscalizações de farmácias, drogarias, distribuidoras de medicamentos e de cosméticos; fiscalizações em laboratórios de análises clínicas, indústrias de alimentos; Sistema Nacional de Gerenciamento de Produtos Controlados (SNGPC), indústrias químicas etc.
As possibilidades são inúmeras e deixaram bastante otimistas os participantes da reunião, devendo, em breve, ocorrer entre a Universidade Estadual de Goiás e a Vigilância Sanitária de Itumbiara a formatação da proposta pelas duas instituições e a sua formalização, necessária à efetiva consecução e início das atividades pelos alunos junto ao órgão municipal.  
 
Hebert Andrade, Profª. MS. Maria M. Alcântara, Profª. Dra. Anna Paula de Sá e  Prof. Evaldo Leles (Diretor Educacional da UEG - Itumbiara)  


Dr. Hebert Andrade Ribeiro Filho
Diretor de Vigilância Sanitária de Itumbiara

segunda-feira, 13 de maio de 2013

ANVISA AVALIA RISCO DA PRESENÇA DE FORMOL E UREIA NO LEITE


O consumo de leite com presença de formol não é seguro para a saúde humana. É o que aponta informe técnico divulgado pela ANVISA, nesta quinta-feira (9/5), em decorrência da Operação Leite Compen$ado, deflagrada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) e Ministério Público do Rio Grande do Sul, que investiga a adulteração de leite nas cidades de Ibirubá, Guaporé e Horizontina, no referido estado.
O formol ou formaldeído é toxico se ingerido, inalado ou se tiver contato com a pele e é considerado cancerígeno pela Agência Internacional de Pesquisa do Câncer (IARC) desde junho de 2004. Os tipos de câncer associados à exposição crônica ao formol são os de nasofaringe, nasossinusal e leucemia. “Mesmo em pequenas concentrações, o formol representa um risco à saúde, pois a substância não possui uma dose segura de exposição”, afirma Denise Resende, Gerente-Geral de Alimentos da ANVISA.
Por outro lado, o informe técnico apontou que a ureia, em doses razoáveis, causa pouca ou nenhuma toxicidade para seres humanos. “A ureia não é considerada uma substância de preocupação para a saúde humana, mas é usada para mascarar a quantidade de proteína no leite”, explica Denise.
LEITE ADULTERADO
Segundo o Ministério da Agricultura, as indústrias produtoras do leite UHT adulterado foram submetidas ao Regime Especial de Fiscalização e estão impedidas de comercializar os produtos. A proibição é valida até que um plano de medidas corretivas seja aprovado e que três amostras consecutivas apresentem resultados laboratoriais dentro dos padrões.

Além disso, o Ministério realizou o recall de todos os lotes de leite que apresentaram problemas, não restando produtos adulterados no comércio. Os lotes retirados do mercado foram divulgados em nota técnica pelo Ministério da Agricultura e estão listados abaixo.


 COMPETÊNCIAS

De acordo com a Lei 1.283/50, o Ministério da Agricultura é o órgão responsável pela fiscalização da fabricação de produtos de origem animal, incluindo o leite. Compete aos órgãos de vigilância sanitária a fiscalização desses produtos no mercado varejista. Como o leite adulterado já foi retirado do comércio, no momento, não serão adotadas ações sanitárias complementares.
A Vigilância Sanitária de Itumbiara monitora a qualidade do leite UHT (leite de “caixinha”) com uma frequência razoável e, até então, não se detectou irregularidades graves como estas verificadas no sul do país. Em 2013 já foram coletadas amostras deste tipo de produto nas prateleiras de supermercados de Itumbiara, inclusive algumas da mesma marca daqueles produtos que teriam sido adulterados, entretanto, felizmente, segundo o LACEN-GO, estavam dentro dos padrões recomendados. De qualquer forma, a ANVISA recomenda aos consumidores que caso disponham desses lotes em suas residências, que os mesmos não sejam consumidos, por haver risco à saúde.
Fonte: ANVISA

Dr. Hebert Andrade Ribeiro Filho
Diretor de Vigilância Sanitária de Itumbiara

sexta-feira, 10 de maio de 2013

MAIS DUAS "CLÍNICAS" PARA RECUPERAÇÃO DE DEPENDENTES QUÍMICOS SÃO INTERDITADAS EM GOIATUBA

ALEXANDRE DE JESUS, CAIO LÚCIO SOARES COSTA E ÁLVARO SILVÉRIO OLIVEIRA JÚNIOR, PRESOS NA OPERAÇÃO DA POLÍCIA CIVIL E VIGILÂNCIA SANITÁRIA DE GOIATUBA.
A interdição de mais duas “clínicas” para recuperação de dependentes químicos, ontem em Goiatuba, no sul de Goiás, reacende o debate sobre as condições em que estes estabelecimentos estariam funcionando e sua efetiva colaboração na recuperação dos usuários de drogas.
Os dois locais funcionavam sem alvará da vigilância sanitária e não contavam com responsável técnico no momento da interdição. As condições precárias de alojamento e a superlotação faziam com que, em uma delas, um único sanitário fosse utilizado por 59 pessoas. Além disso, e como se já não bastasse, foi encontrado farta munição e arma de fogo nas dependências de uma delas e, ainda, seringas para aplicação de injetáveis e um bloco de receituário específico para prescrição de medicamentos sujeito à controle especial, de uso e posse restrito ao profissional médico.
 Mais uma vez voltamos a observar a sociedade sendo enganada, e às vezes, deixando se enganar, por pessoas sem qualquer preparo científico que as possibilitem se colocar à frente deste tipo de atividade e atuar como responsáveis técnicos nestas instituições.
        A Polícia Civil do Estado de Goiás, juntamente com a Vigilância Sanitária de Goiatuba acabam, desta forma, dando fim à impunidade e à “picaretagem” de “terapeutas” com diplomas forjados e comprados, sem qualquer registro no MEC, portanto, sem validade.
        Que a justiça seja implacável com estes indivíduos que se aproveitam dos dramas alheios para se locupletarem, aproveitando-se da fragilidade das famílias que buscam, no extremo de suas forças e economias, internar o seu amigo, parente ou familiar na tentativa de devolvê-lo, com autonomia, ao convívio em sociedade.




Dr. Hebert Andrade Ribeiro Filho
Diretor de Vigilância Sanitária de Itumbiara