Total de visualizações de página

domingo, 16 de setembro de 2012

SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE OBJETIVA VACINAR MAIS DE 19.000 ANIMAIS CONTRA A RAIVA ANIMAL

A Secretaria Municipal de Saúde, através do Centro de Controle de Zoonoses, deu início à Campanha de Vacinação Contra a Raiva Animal no último sábado, dia 15/9/2012, quando foram montados postos de vacinação nos bairros Dionária Rocha, Vila Mutirão, Brasília, Vila de Furnas, Santa Rita, Jardim Liberdade, Planalto e Trindade. A campanha deste ano, diferentemente das anteriores, se estenderá por mais dois finais de semana. Desta maneira, busca-se atingir, com a cobertura vacinal, toda a população de animais, entre cães e gatos, acima dos 3 meses de idade.
No próximo sábado, dia 22/9/2012, teremos a vacinação nos seguintes bairros: Cidade Jardim (Escola Municipal Maria Leopoldina), Vila Vitória (Escola Municipal Adoniro Andrade), Novo Horizonte (CEMEI Augusto Andrey C. Soares), Santos Dumont (Escola Estadual Oscar Moisés), Norma Gibaldi (Escola Estadual Alaor Dias Machado), Bairro Marolina (Escola Estadual Peixoto da Silveira), Santa Inez (Escola Estadual Emília Maria Guimarães) e Paranaíba (CAIS).
No dia 29/9/2012, os postos de vacinação estarão instalados nos bairros: Social (Colégio Estadual Polivalente), Vila Beatriz (Escola Estadual Adelino Lopes de Moura), Setor Rodoviário (Escola Estadual Rui Barbosa), Buriti I, II e III (Escola Estadual Vinícius de Aquino), Jardim América (NABS), Alto da Boa Vista (Escola Municipal Dona Venância – Colégio Modelo), Nossa Senhora da Saúde (Escola Municipal Alexandre Arcipreti), Ulisses Guimarães (CEMEI Dona Leonor Loureiro), Remi Martins (CEMEI Santo Ângelo), Morada dos Sonhos (Escola Municipal Rosa Arantes), Praça São Sebastião e Praça da Rádio Difusora.
Espera-se que, com todos estes postos e, ainda, em três sábados consecutivos, todos os proprietários não deixem de levar os seus de animais para receberem a vacinação, contribuindo para que nossa cidade continue livre da ocorrência desta doença, a raiva, cuja maioria dos casos costumam ser fatais.

Dr, Hebert Andrade Ribeiro Filho
Diretor de Vigilância Sanitária de Itumbiara

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

VIGILÂNCIA SANITÁRIA DE ITUMBIARA INTERDITA DISTRIBUIDORA DE MEDICAMENTOS

Dr. Hebert Andrade, Dr. Ricardo T. Chueire, Dr. Fabiano G. de Paula e Dr. Alexandre Zakir 
Em um trabalho desenvolvido nos dias 12 e 13/9/2012, articulado entre a Vigilância Sanitária de Itumbiara, Secretaria da Fazenda do Estado de Goiás, Polícia Civil do Estado de Goiás, Vigilância Sanitária do Estado de São Paulo e a Corregedoria da Administração do Estado de São Paulo, representado pelo delegado da Polícia Civil do Estado de São Paulo e atual Coordenador do Departamento de Inteligência e Combate a Fraudes, Dr. Alexandre Zakir, foram encontradas diversas irregularidades, com indícios de crimes fiscais e contra a saúde pública, em distribuidoras de medicamentos de Itumbiara, algumas até reincidentes nestas práticas.
Esta constatação leva a crer que estas empresas possam estar envolvidas na receptação de medicamentos, principalmente aqueles utilizados no tratamento de diversos tipos de câncer, que foram extraviados e/ou roubados por organizações criminosas em outras unidades da federação e que, por conta de seu alto valor no mercado, depois seriam revendidas para unidades hospitalares que fazem tratamentos contra o câncer.
Na oportunidade foi verificado que, em algumas destas distribuidoras, havia a movimentação destes medicamentos, cujas notas fiscais de saída, não possuíam a respectiva nota de entrada destes produtos na empresa, ensejando, portanto, que, a sua aquisição, provavelmente não deva ter sido feita de maneira lícita. A não apresentação destas notas fiscais, irregularidades no armazenamento, medicamentos com embalagens avariadas e/ou informações raspadas, fez com que a Vigilância Sanitária de Itumbiara interditasse a empresa JC Bressaglia Distribuidora de Medicamentos, na Rua João da Cruz nº17, Bairro Santa Inez.
A constatação destas práticas configura uma conduta criminosa que atenta contra a legislação fiscal, sanitária e, principalmente, contra a vida, comprometendo totalmente o tratamento daqueles que se utilizariam destes medicamentos no combate à doença que, como todos sabem, por conta de seu avanço rápido e, às vezes, devastador, depende de um diagnóstico precoce e da medicação específica, adequadamente adquirida, armazenada e distribuída, para que se alcance o sucesso no seu tratamento.
Participaram desta operação Dr. Ricardo Torres Chueire, delegado da Polícia Civil do Estado de Goiás, Dr. Fabiano G. de Paula, delegado fiscal da Secretaria da Fazenda do Estado de Goiás, Dr. Alexandre Zakir, delegado da Polícia Civil do Estado de São Paulo e atual Coordenador do Departamento de Inteligência e Combate a Fraudes e Dr. Hebert Andrade Ribeiro Filho, diretor da Vigilância Sanitária de Itumbiara, além das equipes de fiscalização dos respectivos órgãos citados anteriormente e de Agentes da Polícia Civil do Estado de Goiás.

Dr. Hebert Andrade Ribeiro Filho
Diretor de Vigilância Sanitária de Itumbiara

sábado, 8 de setembro de 2012

Vigilância Sanitária divulga o Manual Integrado de Vigilância, Prevenção e Controle de Doenças Transmitidas por Alimentos


A ocorrência de Doenças Transmitidas por Alimentos (DTA) vem aumentando de modo significativo em nível mundial. Vários são os fatores que contribuem para a emergência dessas doenças, entre os quais destacam-se: o crescente aumento das populações; a existência de grupos populacionais vulneráveis ou mais expostos; o processo de urbanização desordenado e a necessidade de produção de alimentos em grande escala. Contribui, ainda, o defi ciente controle dos órgãos públicos e privados no tocante à qualidade dos alimentos ofertados às populações.
Acrescentam-se outros determinantes para o aumento na incidência das DTA, tais como a maior exposição das populações a alimentos destinados ao pronto consumo coletivo – fast-foods –, o consumo de alimentos em vias públicas, a utilização de novas modalidades de produção, o aumento no uso de aditivos e a mudanças de hábitos alimentares, sem deixar de considerar as mudanças ambientais, a globalização e as facilidades atuais de deslocamento da população, inclusive no nível internacional.
A multiplicidade de agentes causais e as suas associações a alguns dos fatores citados resultam em um número significativo de possibilidades para a ocorrência das DTA, infecções ou intoxicações que podem se apresentar de forma crônica ou aguda, com características de surto ou de casos isolados, com distribuição localizada ou disseminada e com formas clínicas diversas.
Vários países da América Latina estão implantando ou implementando sistemas nacionais de vigilância epidemiológica das DTA, em face dos limitados estudos que se tem dos agentes etiológicos, a forma como esses contaminam os alimentos e as quantidades necessárias a serem ingeridas na alimentação para que possa se tornar um risco. Essas medidas vêm sendo estimuladas por recomendações e acordos internacionais, dos quais se destacam os subscritos pelo Brasil na VII Reunião Interamericana de Saúde Ambiental de Nível Ministerial (RIMSA) e na XXXV Reunião do Conselho Diretor da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas).
Apesar da comprovada relação de várias doenças com a ingestão de alimentos contaminados, do elevado número de internações hospitalares e persistência de altos índices de mortalidade infantil por diarreia, em algumas regiões do País pouco se conhece da real magnitude do problema, devido à precariedade das informações disponíveis, fazendo-se necessária a estruturação de um Sistema de Vigilância Epidemiológica das Doenças Transmitidas por Alimentos (VE-DTA), capaz, inclusive, de detectar a introdução de novos patógenos, como Escherichia coli O157:H7 e Salmonella typhimurium DT104.
Diante da complexidade do problema, da fragmentação e desarticulação das ações entre as várias áreas envolvidas, este Manual pretende apresentar o Sistema VE-DTA, que tem como marco metodológico a integração intrainstitucional e interinstitucional nos três níveis de governo. Este documento também visa normatizar as ações e os instrumentos utilizados na investigação de surtos de doenças transmitidas por alimentos, orientar quanto ao fluxo de informação do Sistema VE-DTA e dar suporte técnico para o desenvolvimento das atividades, proporcionando o trabalho integrado.
Fonte: Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância Epidemiológica.

Dr. Hebert Andrade Ribeiro Filho
Diretor de Vigilância Sanitária de Itumbiara


quarta-feira, 5 de setembro de 2012

VIGILÂNCIA SANITÁRIA DE ITUMBIARA – MAIOR SEGURANÇA NAS RELAÇÕES DE CONSUMO DE BENS E SERVIÇOS EM ITUMBIARA


A Vigilância Sanitária de Itumbiara, órgão subordinado à Secretaria Municipal de Saúde, tem demonstrado, através de ações concretas, uma atuação decisiva na observação do cumprimento das exigências da legislação sanitária municipal, estadual e federal em nosso município. Prova disso, tem sido verificado em suas intervenções em empresas que vem descumprindo a legislação sanitária no tocante aos aspectos ambientais delas exigidos e que fazem parte do escopo delineado em alguns artigos dos códigos sanitários, tanto municipal quanto estadual.
Concomitante a estas incursões no campo ambiental, seguem-se as ações mais consagradas e ordinárias nas rotinas das fiscalizações e vistorias, priorizando a orientação a todo o setor regulado, trazendo, assim, maior segurança nas relações de consumo de bens e serviços em nossa cidade.
O mês de agosto, com suas 617 ações, mostra que o espectro de atuação é variado e o trabalho é contínuo em todos os tipos de ações levadas à efeito pelo órgão, demonstrando que, nesta seara de trabalho, não existem, e nem podem haver, interrupções, sob pena de colocarmos em risco a saúde e o bem estar de nossa população.

Dr. Hebert Andrade Ribeiro Filho
Diretor de Vigilância Sanitária de Itumbiara

sábado, 1 de setembro de 2012

VIGILÂNCIA SANITÁRIA DE ITUMBIARA DIVULGA MANUAL DE BOAS PRÁTICAS DE MANIPULAÇÃO DE ALIMENTOS - 2012


A Vigilância Sanitária de Itumbiara obteve junto à Coordenação de Vigilância em Saúde (COVISA), que é o nome do órgão de vigilância sanitária da cidade de São Paulo, a autorização para publicação do Manual de Boas Práticas de Manipulação de Alimentos, edição de 2012, considerado uma das obras mais completas de orientação aos setores ligados diretamente à área de alimentação.
Dentro desta perspectiva, buscando a divulgação deste conteúdo aos setores que trabalham na produção e comercialização de alimentos em Itumbiara, estaremos divulgando, em um primeiro momento, o link para aqueles que desejem fazer já o download da publicação.
A Vigilância Sanitária de Itumbiara buscará a participação de grandes indústrias produtoras de alimentos para que sejam patrocinadoras da impressão deste material que, posteriormente, será distribuído gratuitamente a todos os setores envolvidos com alimentação, traduzindo-se, assim, em um marco na política de orientação e disseminação dos conhecimentos ligados aos aspectos sanitários envolvidos no armazenamento, conservação e preparo dos alimentos fabricados nas mais variadas atividades, contribuindo, portanto, para uma alimentação de qualidade e sem riscos sanitários. Clique aqui para fazer o download da publicação!

Dr. Hebert Andrade Ribeiro Filho
Diretor de Vigilância Sanitária de Itumbiara