Total de visualizações de página

quinta-feira, 10 de maio de 2012

VIGILÂNCIA SANITÁRIA EM INSTITUIÇÕES DE LONGA PERMANÊNCIA PARA IDOSOS


Fonte: Vigilância Sanitária do Estado de Santa Catarina

Nos últimos anos, em consequência de diversos fatores, como a melhoria das condições sanitárias e de acesso a bens e serviços, as pessoas têm vivido mais tempo. Os avanços na área da saúde têm possibilitado que cada vez mais pessoas consigam viver por um período mais prolongado, mesmo possuindo algum tipo de incapacidade.
Diante da situação atual de envelhecimento demográfico, aumento da expectativa de vida e o crescimento da violência, algumas demandas são colocadas para a família, sociedade e poder público, no sentido de proporcionar melhor qualidade de vida às pessoas que possuem alguma incapacidade.
Respondendo a essa demanda, este Guia Prático se destina a orientar cuidadores na atenção à saúde das pessoas de qualquer idade, acamadas ou com limitações físicas que necessitam de cuidados especiais. Tem o objetivo de esclarecer, de modo simples e ilustrativo, os pontos mais comuns do cuidado no domicilio ou nas Instituições de Longa Permanência para Idosos, promovendo melhor qualidade de vida do cuidador e da pessoa cuidada, ressaltando que apesar de todas as orientações aqui contidas, é indispensável a orientação do profissional de saúde.
A Resolução da Diretoria Colegiada – RDC/ANVISA nº 283, de 26 de setembro de 2005 e a RDC/ANVISA nº 94, de 31 de dezembro de 2007,  estabelecem o padrão mínimo de funcionamento das Instituições de Longa Permanência para Idosos, seja ela governamental ou não governamental, destinada à moradia coletiva de pessoas com idade igual ou superior a 60 anos, com ou sem suporte familiar.
Dentro desta perspectiva o cuidador de idosos, que é a pessoa capacitada para auxiliar o idoso que apresenta limitações para realizar atividades da vida diária deve, além de atender o disposto na legislação específica, buscar o conhecimento teórico na bibliografia disponível para desempenhar suas funções, implementando procedimentos para adoção do Regulamento Técnico estabelecido pela RDC/ANVISA nº 283/2005, podendo adotar normas de caráter suplementar, com a finalidade de adequá-lo às especificidades locais.

 
Dr. Hebert Andrade Ribeiro Filho
Diretor de Vigilância Sanitária de Itumbiara

Nenhum comentário:

Postar um comentário