Total de visualizações de página

segunda-feira, 14 de maio de 2012

O PROFISSIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA NA ESCOLA

A Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) aponta a criação de entornos saudáveis como um dos principais componentes para a promoção da saúde nas escolas. E é essa a ótica que deve justificar a integração educação-saúde.
A pretensão de que a população desenvolva uma mentalidade pró-ativa para manter-se saudável e capaz de promover saúde, atuando de forma crítica e reflexiva para a transformação da realidade, exige uma postura inovadora de parceria com o setor saúde, em especial e, neste caso, a vigilância sanitária, de forma que, além da equipe da escola, todos os atores sejam envolvidos na construção de ambientes saudáveis: familiares, amigos, voluntários e instituições públicas ou privadas.
A escola é um poderoso canal para a promoção da saúde, nosso foco de interesse, onde o profissional de vigilância sanitária deve auxiliar professores e alunos na detecção dos problemas da comunidade que impedem uma vida saudável e na identificação de quais deles dependem da ação imediata dos cidadãos, ou estão sujeitos a uma intervenção do governo local, evidenciando as principais situações problemas. Sendo assim, escola, vigilância sanitária e família devem caminhar juntas na construção de valores pessoais e no significado atribuído aos objetos e às situações, em especial a saúde.
Fonte: Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa)

Dr. Hebert Andrade Ribeiro Filho
Diretor de Vigilância Sanitária de Itumbiara

Nenhum comentário:

Postar um comentário